O silêncio delicado da natureza

Andrea Adriani APROFUNDAMENTO PESSOAL, YOGA E MEDITAÇÃO

Em julho estive por 09 dias na natureza do estado do Mato Grosso caminhando em trilhas no cerrado, na floresta e de barco pelo rio. Andando quietinho observei ao vivo e de pertinho muitos bichos da nossa fauna brasileira. Como me é natural fico sempre relacionando tudo que vejo e escuto ao yoga e a meditação, aos ensinamentos orientais que norteiam minha vida. Pensei no processo do homo sapiens dos seus últimos 100.000 anos e de como nos afastamos disso tudo para vivermos hoje nessas grandes urbes. Sei de pesquisas que revelam a tendência mundial das últimas décadas do crescimento dessa migração cada vez maior para as cidades. Mas um dia observávamos um quati no meio do mato e ele caminhava como se ‘pisasse em ovos’, cuidadosamente e silenciosamente. Perguntei depois ao seu Manoel, o guia que nos acompanhava, se aquilo era um cuidado para não fazer ruídos de um graveto quebrando, de folhas se mexendo e assim não atrair um possível predador. O que ele me respondeu me trouxe uma reflexão para o meu mundo, “Vários animais são assim cuidadosos com o silêncio para que eles mesmos possam escutar melhor tudo que está a sua volta inclusive um possível predador e também, em alguns casos, uma possível presa”. Que interessante pensei; ser silencioso para poder estar mais conectado com tudo que o cerca. Este é um cuidado essencial para o yoga e a meditação permanente e no dia a dia perceber o movimento da vida em todo lugar.

Foto: Matheus Bosco

Sandro Bosco